Tema frequentemente estudado em psicologia e economia comportamental, os Vieses cognitivos são tendências que podem levar a desvios sistemáticos de lógica e a decisões irracionais.

Mas você sabe de fato o que é viés cognitivo e como ele pode afetar os seus investimentos?

Neste artigo iremos explicar e apresentar 5 vieses mais comuns que afetam os investidores na hora de investir.


Afinal, o que é Viés cognitivo?

Viés cognitivo diz respeito a um “defeito” de pensamento que afeta decisões e julgamentos. São armadilhas que levam a interpretações equivocadas do mundo e, consequentemente, fazem com que decisões irracionais sejam tomadas.

Os vieses cognitivos, geralmente, são resultados de tentativas do cérebro de simplificar o processamento de informações. Esses vieses, em geral, funcionam como regras práticas que ajudam você a entender o mundo e a tomar decisões com velocidade.

Os mesmos são considerados vícios mentais, que podem conduzir os investidores a não avaliar as situações de maneira racional, tomando decisões prejudiciais para seus investimentos. 


Quais os tipos de vieses cognitivos?

Existem diversos tipos de vieses, mas separamos 5 deles que julgamos ser mais prejudiciais para os investimentos. Confira! 


1- Viés da Confirmação

“Viés da Confirmação: Tendência de procurar, interpretar, focar e lembrar a informação de uma forma que confirma nossos preconceitos”.

Confirmation Bias

O viés da confirmação é um ato inconsciente de buscar referências apenas de perspectivas que alimentam uma única visão pré-existente, enquanto ao mesmo tempo, ignora ou desconsidera opiniões que ameacem esse ponto de vista.

Este é um viés perigoso para os investidores, pois, de forma inconsciente, o cérebro busca confirmar suas próprias avaliações, comparações e suposições, e isso é perigoso pois pode guiar o investidor a tomar decisões julgadas de forma errada.

Um exemplo é: um investidor acreditar que uma certa empresa é um bom investimento apenas por procurar informações que confirmam seu ponto de vista (ficando fechado a opiniões ou fatos contrários).


2- Viés da Ancoragem

“Viés da Ancoragem: Tendência a confiar demais, ou “ancorar-se”, em uma referência do passado ou em uma parte da informação na hora de tomar decisões”.

Anchoring Bias

O viés de ancoragem ocorre quando as expectativas do investidor se fixam em um determinado valor, apesar das faltas de evidências do contexto. 

Este é um viés perigoso para os investidores, porque o mesmo pode ficar aficionado com as cotações históricas do ativo.

Exemplo: uma ação está vendida a R$ 25,00, valor abaixo do preço dos meses anteriores (que oscilaram entre R$ 30 e 35 reais). O investidor pode associar esse preço baixo a uma oportunidade, apenas porque o valor está abaixo do histórico. Então esse investidor simplesmente acredita que a ação não vai mais cair abaixo de R$ 25,00 só porque sua ideia está “ancorada” no preço histórico.


3- Falácia dos Custos Irrecuperáveis

“Falácia dos custos irrecuperáveis: Tendência das pessoas seguirem irracionalmente um pensamento ou atividade que não cumpre com suas expectativas por causa do tempo e /ou dinheiro que foi gasto com ele”.

Sunk Costs Falacy

Para os investidores, este é um viés perigoso pelo fato do investidor poder ficar aficionado com um determinado investimento, por ter havido um custo associado a ele, preferindo assim, não se desfazer de seus ativos, mesmo que eles tenham perdido valor.


4- Viés do Status Quo

“Viés do Status Quo: Tendência das pessoas em não fazer nada ou manter sua decisão atual ou anterior”.

Status Quo Bias

Este viés estimula o indivíduo a permanecer no nível de referência atual, ou seja, leva o indivíduo a não fazer nada. O Status Quo é a preferência de um indivíduo por manter seu estado atual, mesmo se uma alteração de sua situação proporcione um aumento de bem-estar.

Este é um viés ruim para os investidores, pelo simples fato de que não fazer nada também é uma decisão. Isso faz com que o investidor fique paralisado em suas tomadas de decisão, sem saber o que fazer, e até mesmo o mantém em sua zona de conforto, impedindo-o de alcançar melhores resultados. 


5- Aversão a Perda

“Aversão a Perda: Tendência humana a preferir fortemente evitar uma perda para receber um ganho”.

Loss Aversion

Este viés faz com que o indivíduo atribua maior importância às perdas do que aos ganhos, induzindo-o frequentemente a correr maiores riscos no intuito de tentar reparar eventuais prejuízos.

A aversão à perda é um viés que simplesmente não pode ser tolerado na tomada de decisão financeira, pois faz com que o investidor insista em investimentos sem

perspectiva futura de melhora, seja pelo medo da dor do prejuízo ou pela recusa em admitir eventuais erros na escolha da aplicação.


Qual a importância de saber sobre o assunto?

O objetivo de aprender sobre Viés cognitivo e a sua influência no processo de tomada de decisão é reconhecer as situações em que cada erro particular pode se manifestar. 

Isso minimiza equívocos no processo de alocação de ativos e, por consequência, melhora a performance dos investidores que entendem seus efeitos.


Gostou deste post? Então fique ligado nos próximos conteúdos que iremos postar aqui! 

Quer saber mais sobre renda variável, quais empresas investir e qual a melhor forma de fazer seus investimentos render? Conte com a Multibot! Somos uma plataforma focada em investimentos no mercado de ações, com a missão de auxiliar você em sua tomada de decisões. 

Acesse nosso site www.multibot.com.br, e tenha acesso as melhores dicas e informações sobre o mercado financeiro para te ajudar a investir da melhor forma! 😉

0 Shares:
1 comment
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You May Also Like
Como abrir conta em uma corretora?
Leia mais

Como abrir conta em uma corretora?

O primeiro passo para você começar a investir na Bolsa de Valores é abrir uma conta em uma corretora. Atualmente, o mercado brasileiro oferta diversas corretoras, algumas cobram mais taxas, outras menos, outras nenhuma. Por isso é fundamental escolher muito bem a corretora que você irá aplicar o seu dinheiro.